Como se sair bem em negociações internacionais?

Se você está aprendendo idiomas para a carreira, é bem provável que você encontre situações de negociação daqui para a frente.

Além do inglês, uma série de fatores podem levar ao sucesso ou fracasso de uma negociação. Deal making é uma arte: envolve definir prioridades, traçar cenários e mensurar riscos.

Já pensou nisso?

Em uma negociação, o nível de informação é assimétrico. Cada parte envolvida detém certos objetivos e conceitos, e deve avaliar até que ponto é interessante revelar isso ao oponente.

No livro Negotiating for Success, o autor George Siedel, professor de Michigan Ross, indica três perguntas que devemos fazer antes de qualquer negociação:

  • Iniciar esta negociação é confortável para você? Por quê? Por quê não?

  • Os benefícios desta negociação superam os custos (não só financeiros, mas de tempo e oportunidade)?

  • Os benefícios justificam os riscos assumidos ao negociar?

O processo decisório antes e durante uma negociação permeia as mais diversas áreas: de processos seletivos a processos judiciais, da compra e venda de produtos a jogos.

Quem nunca precisou lidar com telemarketing ou vendedores de assinatura de revistas?

Para saber mais, recomendo o livro do George Seidel.

Se você quer ficar afiado em negociações em inglês, o importante é ter coragem, estratégia e prática.

Hugo Crema


Biodata

Hugo Crema (Cambridge CPE C2) é professor, tradutor e pesquisador nas áreas de inglês jurídico, acadêmico e business. Fundador da consultoria HC&M Language Intelligence e da Escola de Conversação.


21 views0 comments

Recent Posts

See All